Saúde aos Campeões \o/

2 Comentario(s)
Mondial 2016

O segundo dia do Mondial de la Bière movimentou o Boulevard Olímpico, no Píer Mauá. O destaque ficou por conta do anúncio dos melhores rótulos de cerveja do ano eleitos pelo concurso MBeer Contest, totalizando 13 medalhas de ouro e uma de platina. Os vencedores foram escolhidos por um júri de peso, com nomes internacionais e brasileiros, através de degustação às cegas. A cerimônia contou com a presença do presidente da GL Events no Brasil, Arthur Repsold.

A cervejaria Backer levou a medalha de platina, com a Bravo, uma Imperial Porter.

As medalhas de ouro foram para as cervejas:

- Noi Cioccolato da Cervejaria Noi;

- Hopi da Cervejaria Mistura Clássica;

- Wals Niobium da Wals Cerveja Arte;

- Hazy da Cervejaria OverHop;

- Wals Cuvéé Carneiro da Wals Cerveja Arte;

- Pazion da Zalaz;

- DarkHop da Cervejaria OverHop;

- Cacau Wee da Bodebrown;

- #TBT cerveja colaborativa das Cervejarias 3 Cariocas e 2 Cabeças;

- Wals Dubbel da Wals Cervejaria Arte;

- India White Ale da Three Monkeys Beer;

- Canudos da O Motim;

- Cerveja Mafia New York da Cervejaria Serra Verde Imperial.

 

O júri foi composto pelos brasileiros Gabriel Di Martino (mestre cervejeiro), Daniel Martins (sommelier de cerveja), José Honorato (sommelier de cervejas), Pedro Barcellos Teixeira (sommelier de cervejas), Daniel Wolff (sommelier de cerveja) e Douglas Mendes Merlo (sommelier de cervejas), pelo canadense Alex Ganivet-Boileau (mestre cervejeiro), pelo americano Neill Acer (mestre cervejeiro), pelo italiano Simonmattia Riva (sommelier de cerveja) e pela francesa Élisabeth Pierre (cervejeira especialista independente).

O Mondial de La Bièrre segue até dia 16, domingo, levando verdadeiras multidões ao Pier Mauá, no Rio de Janeiro.

NATAL EM OUTUBRO

0 Comentario(s)
cerveja-artesanal-2

Para o cervejeiro o verdadeiro Natal é em Outubro. Desde 1810 quando foi criada a primeira Oktoberfest em Munique, este mês é marcado por festivais, festas, promoções e lançamentos cervejeiros pelo mundo. Sem a pretensão de listar todos estes eventos, escolhi os dois mais importantes do Brasil nesta época do ano.

OKTOBERFEST
Inspirada na tradicional festa alemã que teve origem em 1810 em Munique, a Oktoberfest de Blumenau (SC) se tornou uma das festas mais populares do Brasil. Sua primeira edição foi em 1984 e teve o público de 102 mil pessoas, número que superava a metade da população local da época. Nos anos seguintes o evento atraiu o interesse de cidades vizinhas e consolidou Blumenau como principal destino turístico de Santa Catarina no mês de outubro. Apesar de ser famosa pelas cervejas, a festa é folclore, memória e tradição.

Durante seus 19 dias os blumenauenses mostram para todo o Brasil a sua riqueza cultural, revelada pelo amor à música, à dança e à gastronomia típica, que preservam os costumes dos antepassados vindos da Alemanha para formar colônias na região Sul. Em 2015 o evento contou com o público de 473 mil pessoas que consumiram 599.622 litros de cerveja. A expectativa para a edição atual é que o número de visitantes chegue a 600 mil pessoas.

Dentro da Oktoberfest várias atividades estão programadas. Entre elas, os turistas poderão aprender sobre cerveja em mini-cursos de até duas horas. Aulas de produção cervejeira e degustação serão realizadas na Escola Superior de Cerveja e Malte durante 14 dias do período da festa. As inscrições para os cursos de férias e o agendamento de visitas podem ser feitos através do site da ESCM  ou do telefone (47) 3380-5200.

Várias agências de turismo bolaram passeios para atender a demanda desta época do ano. Entre a propostas , que tal conhecer os roteiros Vale da Cerveja? Durante a 33ª Oktoberfest, o Blumenau e Vale Europeu Convention & Visitors Bureau e a Oktobertur promovem passeios pela região mostrando os principais atrativos e, é claro, as cervejarias. Cada dia da semana um passeio diferente. Já o passeio o Ciclo Bier  une duas paixões: bicicleta e cerveja artesanal. Em uma das regiões mais bonitas do estado de Santa Catarina, o Ciclo Bier é a maneira mais prazerosa e saudável de conhecer um pouco mais sobre processo de fabricação das tão renomadas cervejas de Blumenau e região. Outros passeios são também oferecidos no site da Oktoberfest
Serviço:
33ª OKTOBERFEST
De 05 a 23 de outubro
Parque Vila Germânica
Rua Alberto Stein, 199
Velha – Blumenau – Santa Catarina

MONDIAL DE LA BIÈRE
O Mondial de la Bière, no Rio de Janeiro, chega a sua 4ª edição. De 12 a 16 de outubro os armazéns 2, 3 e 4 do Pier Mauá, Zona Portuária, serão tomados por rótulos exclusivos, novos sabores, aromas e texturas. O espaço de 13 mil metros quadrados, 30% maior que no ano passado, possibilitará o aumento de expositores, maior área de alimentação e shows com muito mais conforto. A expectativa de público para 2016 é de 50 mil pessoas. Realizado anualmente em Montreal, no Canadá, e em Mulhouse, na França, o evento é considerado a porta de entrada para muitas indústrias de cervejas estrangeiras nos países de realização.

Com aproximadamente 120 expositores e mais de mil rótulos de cervejas especiais para degustação, o Mondial oferecerá em sua programação concurso, shows, Petit Pub – apenas com rótulos internacionais e inéditos – e a Beer Boutique, espaço dedicado à venda de garrafas de cervejas especiais para que os visitantes possam levar um pouco do festival para casa. Grandes mestres cervejeiros, personalidades e rótulos premiados já são presenças confirmadas.

O Mondial terá mais de 20 estandes de alimentação assinados por endereços como Aconchego Carioca, Hell’s Burguer, Hare Burguer, Boteco do Toninho e Ogrostronomia. Para a sobremesa, a Mil Frutas já garantiu a participação. Já as atrações musicais serão mais democráticas, com bandas de folk, jazz, reggae, rock e samba.

Entre muitas atividades propostas o Mondial de la Bière apresenta pela primeira vez o Bohemia Master Class. Palestras e debates acontecerão, paralelamente ao evento, nos dias 13 e 14 de outubro, no Hotel Vila Galé, na Lapa, Rio de Janeiro. Inscrições aqui

Desde sua primeira edição o Mondial é também um concurso de degustação profissional de cerveja, o MBeer Contest, que contará com um júri altamente qualificado de integrantes nacionais e internacionais. O MBeer Contest Brazil é uma competição inovadora, com avaliação baseada nas qualidades intrínsecas da cerveja. Sem categorias pré-definidas por estilo, os juízes – que farão as degustações às cegas – identificarão o estilo da cerveja e a avaliarão de acordo com o estilo identificado.
Serviço:
MONDIAL DE LA BIÈRE
De 12 a 16 de outubro
armazéns 2, 3 e 4 do Pier Mauá
Rio de Janeiro

 

Cerveja também é colecionável

0 Comentario(s)
beer-flakes-clube-cervejeiro-03

texto e fotos: Cilmara Bedaque e divulgação

A demanda por cervejas artesanais vem crescendo em todo o mundo e, junto a ela, um mercado de acessórios e memorabilia vem à tona. Está sendo lançado aqui no Brasil o Beerflakes, uma espécie de clube ligado a todo este comércio que faz brilhar os olhinhos dos aficcionados. Quem não gosta de brincar que se apresente.

Cilmara Bedaque – O que é o Beerflakes?
Alexander Michelbach – Beerflakes é um serviço de assinatura que irá entregar mensalmente uma caixa com uma seleção de produtos relacionados ao universo cervejeiro. Camisetas, copos, taças, abridores, placas, meias e livros são alguns dos itens que estarão presentes. Cada caixa terá um tema, que orientará a escolha dos artigos e dará pistas ao assinantes do que esta por vir.

Cilmara Bedaque – No que o Beerflakes difere de outros clubes de cerveja?
Alexander Michelbach – Diferentemente dos clubes de cerveja, o foco principal são os artigos que possuem alguma relação à cultura cervejeira, como os relacionados acima. Alguns clubes enviam uma taça ou algum produto além das cervejas, no caso do BeerFlakes será basicamente o inverso, enviaremos os produtos selecionados e em casos especiais, como em lançamentos ou eventos poderemos incluir uma cerveja, mas não será algo fixo.

Cilmara Bedaque – Como faz para ser sócio do Beerflakes e quanto custará ao mês?
Alexander Michelbach – Estamos na fase de pré‐lançamento e nos bastidores em contato com dezenas de fornecedores no Brasil e exterior, para expandir nossa base de fornecimento. Inicialmente teremos um número limitado de assinaturas disponíveis, para oferecer a melhor experiência possível aos membros. Para ficar informado sobre lançamento, valores e o primeiro tema, os interessados podem acessar nosso site www.beer‐flakes.com e realizar o pré‐cadastramento , algo simples e rápido. (Após esta entrevista ser realizada algumas coisas foram definidas: o tema de lançamento será I Love Lúpulo, a mensalidade R$82,90 e um plano trimestral com um prêmio adicional.)

Cilmara Bedaque – E se eu, como associada, não gostar do material selecionado?
Alexander Michelbach – Teremos disponível no site, na área de suporte/faq, as condições para troca assim como outros sites de e‐commerce e assinatura, cada caso será analisado individualmente. Planejamos ainda, caso seja também confirmado o interesse pelos assinantes, oferecer eventos de troca, onde assinantes poderão trocar artigos cervejeiros, que vieram na caixa ou não, além de criar um network durante a desgustação de boas cervejas.

Cilmara Bedaque – Você tem, como exemplo, algum pacote que pode ser oferecido?
Alexander Michelbach – Cada edição do BeerFlakes conterá de 4 a 6 diferentes produtos, o que pretendemos aumentar com o tempo à partir do aumento do número de assinantes. Materiais de divulgação como cupons de desconto, ingressos, não serão considerados produtos como uma camiseta ou taça. Estamos no momento finalizando as negociações de alguns artigos, mas podemos já informar que serão itens que muitos apaixonados por cerveja gostariam de ter, mesmo porque esta é uma de nossas premissas, enviar somente itens que nós também gostaríamos de receber.

Cilmara Bedaque – Você já tem experiência com produtos ligados à cerveja. Fale sobre o Brewce e o Beertone.
Alexander Michelbach – Depois do lançamento de alguns produtos voltados ao meio cervejeiro, como o Brewce Hophead, e inicialmente o Guia Beertone, que já estão no mercado há algum tempo, notamos que existia uma lacuna na utilização deste modelo de negócio, clube de assinaturas, voltada para os produtos cervejeiros e depois de meses em planejamento decidimos colocar em prática. Trabalhamos de forma constante nos últimos meses no desenvolvimento do BeerFlakes, com pesquisas de produtos, contato de fornecedores no Brasil e Exterior para oferecer tudo isso aos assinantes. O mercado de cerveja é algo muito dinâmico, diariamente lançamentos são apresentados e com o BeerFlakes iremos manter esta dinâmica e levar ao público o que há de melhor em produtos da cultura cervejeira, todos os meses. Muita coisa boa está por vir.

O Lupulinas como apreciador de gadgets ligados à cerveja deseja boa sorte e longa vida ao BeerFlakes.

 

 

E a Founders descobriu o Brasil…

0 Comentario(s)
Founders

texto e fotos:> Cilmara Bedaque e divulgação

A degustação dos novos rótulos da Founders Brewery que a importadora Beer Concept está trazendo ao Brasil foi acachapante. Tivemos o privilégio de degustar as clássicas All Day e Centennial nas suas versões em garrafa e lata para efeito de comparação e também outros tantos rótulos já conhecidos por aqui e outros nunca importados. A importadora está trazendo a Founders em cadeia fria (refrigerada desde sua saída da fábrica em Grand Rapids, Michigan, Estados Unidos).

Primeiramente, bebemos a All Day IPA em lata e garrafa e, reavaliem seus preconceitos, a versão em lata estava bem mais conservada em seu aroma , gosto e frescor de lúpulo do que a engarrafada. A All Day é um rótulo forte da Founders que  junta a leveza de uma Session Beer com a potência dos lúpulos de uma American IPA. Depois comparamos a lata e a garrafa da Centennial que é outro rótulo consagrado da cervejaria. A Centennial é uma das IPAs mais equilibradas do mercado e, novamente, a em lata estava mais saborosa, aromática e com seu inconfundível creme maravilhosamente preservado.

No mesmo container vieram estes rótulos nunca dantes vistos no Brasil:

DEVIL DANCER – Assim como a KBS, essa faz parte do seleto time de edições limitadas da Founders. Quando você dança com o diabo, o diabo não muda, você muda! Incrível complexidade, enorme quantidade de malte em equilíbrio com uma quantidade insana de lúpulos. Produzida com dez variedades de lúpulo, bem seca e alcançando 112 IBUs.
Estilo: Imperial IPA
ABV: 12%
IBU: 112
Formato: Garrafa 330ml
Rate Beer: 99

SUMATRA MOUNTAIN BROWN – Da série especial da Founders, chega essa Imperial Brown Ale com malte caramelo para a doçura, cevada em flocos para uma espuma densa e malte chocolate para uma coloração profunda. E com adição do café Sumatra, ela fica perfeitamente equilibrada com um nível de qualidade absurdo.
Estilo: Imperial Brown Ale
ABV: 9%
IBU: 40
Formato: Garrafa 330ml
Rate Beer: 99

PORTER – No aroma é possível sentir um doce com chocolate forte e presença de malte caramelo. No paladar é possível sentir tudo o que uma ótima Porter oferece, aveludada e muito acolhedora. Uma das Porters mais reverenciadas no mundo.
Estilo: Porter
ABV: 6,5%
IBU: 45
Formato: Garrafa 330ml
Rate Beer: 100

RUBAEUS – Com o sabor de framboesas frescas, Rubaeus é a forma que a Founders encontrou de celebrar as alegrias do verão durante todo o ano. Avermelhada, procura combinar o doce, o azedo e o refrescante.
Estilo: Fruit Beer
ABV: 5,7%
IBU: 15
Formato: Garrafa
Rate Beer: 89

BLUSHING MONK – É quase que uma evolução da Rubaeus. É fabricada com uma quantidade ridícula de framboesas e uma cepa de levedura belga. Uma cerveja de sobremesa para ser apreciada com queijos, frutas e bolos. Seca e deliciosamente ácida. Como diz o nome é pra corar o monge com seu alto teor alcoólico.
Estilo: Fruit/Vegetable Beer
ABV: 9,2%
Formato: Garrafa 600ml
Rate Beer: 92

MANGO MAGNIFICO – Ideal para o verão esta arrojada cerveja é uma Fruit Beer com características especiais. Manga e Habanero estabelecem um equilíbrio que dão uma complexidade especial para esta cerveja. A pimenta aumenta a profundidade no paladar.
Estilo: Fruit/Vegetable Beer
ABV: 10%
Formato: Garrafa 600ml
Rate Beer: 90

DIRTY BASTARD – Fabricada com sete variedades de maltes importados, complexa em acabamento, notas defumadas e um “punch” de lúpulo para um final complexo!
Estilo: Scotch Ale
ABV: 8,5%
IBU: 50
Formato: Garrafa 330ml
Rate Beer: 98

KBS (Kentucky Breakfast Stout) – Ela é tão celebrada nos Estados Unidos que ganhou uma semana inteira só dela, o KBS Week, que acontece todo ano em alguns poucos bares, devido ao lote limitado da cerveja. Uma Imperial Stout com 12,4% ABV, 70 IBUs, produzida com uma enorme quantidade de café e chocolate, envelhecida por 1 ano em barris de Bourbon. Uma celebração à criatividade humana.
Estilo: Imperial Stout
ABV: 12,4%
IBU: 70
Formato: Garrafa 330ml
Rate Beer: 100

A Founders Brewing foi criada por Dave Engbers e Mike Stevens. O início da cervejaria foi bem turbulento, com produções medianas e de pouco impacto, decretando quase a sua falência. Foi então que resolveram mudar sua postura, criar cervejas incríveis e não mais pensar em apelo apenas comercial. Foi com essa filosofia que a Founders começou a crescer e não parou mais. Nos últimos cinco anos foi nome constante na lista das melhores cervejarias do mundo e com vários rótulos entre as 100 melhores, pelo conceituado site Rate Beer.

Esta degustação que fizemos fez parte do KBS Day pela primeira vez realizado no Brasil. A festa ocorre anualmente em Grand Rapids, nos EUA, cidade natal da cervejaria, para celebrar a icônica KBS, que sempre aparece na lista das melhores do mundo.

Festival de Outono une Cerveja, Gastronomia e Cultura

0 Comentario(s)
cerveja-artesanal-2

EVENTO REALIZADO PELA BODEBROWN TRAZ 20 CERVEJAS DE DIFERENTES ESTILOS, 35 FOOD TRUCKS E SHOWS COM ENTRADA FRANCA

O outono ganha uma celebração regada à cerveja artesanal, gastronomia, música, cultura e muita diversão, com a realização no próximo sábado (4/6) do Festival de Outono Bodebrown. A premiada cervejaria escola curitibana, reconhecida internacionalmente, abre suas portas e ocupa as calçadas e ruas vizinhas, no bairro Hauer, para a quarta edição da já tradicional série de eventos temáticos inspirados nas quatro estações do ano. Contando com apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba, que incluiu o evento no calendário oficial da cidade, vai apresentar ao público 16 cervejas diferentes, de variados estilos, 35 food trucks e shows de música.

A sede da Bodebrown fica na Rua Carlos de Laet, 1015. O horário da festa vai das 9h às 17h, com entrada gratuita.

Seguindo a linha de eventos anteriores, que marcaram o inverno e o verão, agora a Bodebrown realiza o Festival de Outono. O festival é uma maneira de divulgar a cultura das cervejas artesanais, promovendo a interação entre cervejeiros e consumidores, aliando outras atrações para um momento de descontração. A ideia surgiu em 2015, com o Festival de Inverno, que contou com mais de oito mil pessoas circulando durante todo o dia. Na primeira edição de 2016, foram mais de 10 mil pessoas. A expectativa para o próximo final de semana é superar esta marca.

Agora a estrutura foi aumentada, buscando atender com mais agilidade ao público, seja na parte de bebidas como na de comidas, banheiros e segurança. “Os festivais são um grande congraçamento, trazendo novidades do mundo cervejeiro diretamente ao consumidor. E todos juntos celebram esta riqueza da cultura cervejeira, marcada pela diversidade de cores, aromas e sabores”, comenta Samuel Cavancanti, sócio-fundador da Bodebrown. “Fizemos ajustes na produção para que o público possa se divertir sem preocupações e, para isso, o apoio da Prefeitura de Curitiba é muito importante”.

Confira as cervejas participantes confirmadas:

— Blanche de Curitiba
— Brauns Bier – Brauns IPA
— Stone®/Bodebrown Cacau IPA
— Cerveja do Amor (LANÇAMENTO!)
— Fantasia Wood IPA (LANÇAMENTO!)
— Hop Weiss
— Hoptoberfest
— Perigosa Baby Session IPA
— Perigosa IPA
— DeBora Poderosa IPA
— Bodebrown/Providência® Session IPA
— Vic Secrets IPA
— Atomga Russian Imperial Stout
— Turbinada Blonde Ale
— Bodebrown/Bierhoff® Outono Indian Pale Lager (LANÇAMENTO!)
— Founders Brewing Co. (Michigan, EUA – Quiosque Exclusivo)

SHOWS:

Atrações do Palco Bode: 9h – Vizetti Trio (jazz); 11h – Apresentação Folclore Ucraniano; 12h30 – Gaiteiros de Lume (música celta); 15h – The Folking Deads (folk); 16h30 – 3 in Trio (clássicos do rock)

Atrações do Palco Brown: 10h – Aranha Marron (clássicos do rock); 12h30 – Ramones Cover (punk rock); 14h30 – Gui Tosin & Inocentes (blues); 16h30 – Dirty Cash (Johnny Cash Tribute, rock).

FOOD TRUCKS:

1. Cosamigos Burguer
2. Budhai Foodtruck
3. Jonny Brasa
4. Bbq em casa
5. Altman Gastronomia
6. Vive la crepe
7. My way
8. Totopos
9. O aviador
10. JPL
11. Road meat
12. Partiu temaki
13. Burgueria Grill
14. Savana
15. Big Bear
16. Clube do Malte
17. Q delices
18. Kombi Coffee
19. Gelataio
20. Dagniaux
21. BikeFood Eu que fiz
22. Kurtos Kalacs
23. Brownie do Max
24. Santos donuts
25. Cantinho do Eisbein
26. Cookie Stories
27. Pantucci
28. Ab Sweet
29. King Fries
30. Sugar to go
31. Churros&Churros
32. Pateis gourmet Famiglia Berno
33. Sucobras
34. Tapí
35. Burgueria Grill
36. Maori Massas
37. Nebraska Burguers

FESTIVAL DE OUTONO DA BODEBROWN

Data: 4 de junho, sábado
Horário: das 9h às 17h
Entrada: gratuita
Endereço: R. Carlos de Laet, 1015 – Hauer, Curitiba – PR

Festas e lançamentos de maio

0 Comentario(s)
Kit_Schornstein_copo. jpg

 

Wäls lança primeira Growler Station no Brasil
Belo Horizonte, maio de 2016. Ousada, ávida por inovar e surpreender, a cervejaria mineira Wäls acaba de abrir a primeira Growler Station dentro de um supermercado no Brasil. Uma verdadeira estação de cerveja fresca com muito mais aroma e sabor, onde o consumidor pode comprar até 10 tipos de chopes para consumo em casa. O espaço fica localizado em Belo Horizonte, no Verdemar Nossa Senhora do Carmo.

O growler é uma garrafa de vidro ou cerâmica, de 1,9 litros, bastante utilizada nos Estados Unidos. Ela possui uma tampa eficiente, que conserva o chope por até cinco dias na geladeira. A bebida, contudo, deve ser consumida em 48 horas, após a abertura da garrafa. Essa nova proposta terá um atendimento diferenciado, com um beer sommelier, para explicar e orientar o consumidor sobre todos os tipos de cerveja. Outra vantagem de adquirir a garrafa é a economia que oferece, já que é retornável.

São dez opções iniciais de chope sem pasteurização: Wäls 42, Dubbel, Niobium, Pale Ale, Petroleum, Pilsen, Session Citra, Trippel, Witte e 8 e 1. O Growler Station Wäls Verdemar funcionará de segunda à sexta, das 10 às 21h, e aos sábados, domingos e feriados, de 9 às 20h.

Bodebrown lança chope em barril descartável de plástico
A Bodebrown apresenta no Brasil uma nova e revolucionária forma de vender chope. Reconhecida nacional e internacionalmente, a cervejaria curitibana foi escolhida pela empresa belga CardiffGroup para lançar no país um sistema inédito e exclusivo para a venda de chope artesanal, por meio dos barris de plástico da marca EcoDraft. Com modelos com capacidade para 20 e 30 litros, as novas embalagens permitem que a bebida, ao ser refermentada no barril, tenha validade de até dois anos, mesmo depois da abertura para início da sua utilização.

Para lançamento no mercado brasileiro, o produto está à venda no site da Bodebrown . As duas primeiras cervejas a ganharem este formato são a Perigosa Baby – recém eleita e melhor Session IPA do Brasil – e a Vic Secrets Rye IPA. O envio pode ser feito diretamente para todos os estados brasileiros.

A longa durabilidade do chope artesanal vendido nos novos barris é possível graças ao sistema de duas bolsas internas, que não permite a contaminação da bebida com o ar. A novidade também dispensa cilindro de gás carbônico, chopeiras e manômetros. Basta gelar, colocar a bomba manual, acionar o sistema manualmente e servir, sem a preocupação de oxidação ou contaminações. O barril também funciona do modo convencional, com chopeiras e cilindros de gás carbônico.

“Esta é mais uma grande revolução na maneira de beber cervejas especiais. Com o uso do Bode Pump e o barril, o apreciador que mora em qualquer estado do país pode desfrutar dos chopes da Bodebrown sem a necessidade de equipamentos e até mesmo uso de energia elétrica”, conta Samuel Cavalcanti, cervejeiro à frente da Bodebrown. “Estamos muito felizes por termos sido escolhidos pela empresa Cardiff para apresentar o produto ao Brasil em primeira-mão. Queremos chegar em todas as regiões com este formato, focando na venda para bares, restaurantes e lojas como também no público final por meio do e-commerce. A resistência do barril e seu peso, extremamente leve, e a segurança, facilitam o transporte e viabilizam um custo de envio mais barato. Além disso, ele pode plugar e desplugar o sistema de bomba e mangueira que o chope continuará tendo estabilidade de até 24 meses, sem nenhuma alteração de cor, paladar e aromas”.

Os barris EcoDraft são inteiramente recicláveis. Sua composição faz com que suporte quedas de até três metros, sem danificar os compartimentos internos e comprometer o produto.

Dádiva e Cathedral celebram parceria com rótulo colaborativo
A Cervejaria Dádiva, de Várzea Paulista, e a Cervejaria Cathedral, de Maringá, estão lançando um rótulo colaborativo em comemoração de um ano de parceria. Um lote especial de Golden Rye Ale foi produzido em latas de 350 ml, e chega ao mercado até o final de maio. Além da parceria, as cervejarias comemoram também grandes estreias: essa é a primeira vez que a Dádiva participa de um rótulo colaborativo e que a Cathedral produz uma cerveja em lata.

A Golden Rye Ale, produzida entre a Dádiva e a Cathedral, é uma cerveja de centeio single hop com lúpulo “El Dourado”, adicionado tanto na fervura quanto no dry hopping. Considerando também que o lúpulo “El Dourado” tem temperamento tropical por natureza, o rótulo transparece o lúpulo dourado com singularidade de sabor e aroma, apresentando características marcantes que antecedem ao centeio.

O rótulo é do artista gráfico Ciro Bicudo, onde as libélulas da Cervejaria Dádiva se misturam aos vitrais da Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória, marco da cidade de Maringá e ícone da Cervejaria Cathedral.

Schornstein lança série de documentários sobre o prédio que abrigará nova fábrica

Quando buscava o local para a nova fábrica, a Schornstein encontrou ao lado da atual sede, em Pomerode (SC), um espaço único: além de possibilitar a implantação dos equipamentos que vão triplicar a produção da cervejaria, o prédio faz parte da história e do desenvolvimento econômico da cidade mais alemã do Brasil. Lá, até 1999, funcionou o mercado Weege, que era o centro de um complexo fundado em 1903 que incluía desde indústrias de alimentos e tintas até um posto de gasolina.

“O prédio tem uma estrutura física que atendia muito bem as necessidades de uma cervejaria. Mas a nossa decisão por abrirmos lá a nova fábrica aconteceu porque entendemos que não era apenas um lugar, mas era a história que queríamos valorizar e continuar”, comenta Adilson Altrão, diretor da Schornstein.

“Na medida em que as pessoas foram descobrindo que nos instalaríamos naquele prédio, percebemos que todo mundo tinha algo a contar sobre ele. E era sempre algo positivo, com carinho. Foi aí que surgiu essa idéia. O Weege foi uma das grandes alavancas da cidade”, destaca Altrão. “Entendemos que além de restaurarmos as paredes, precisávamos restaurar a história”.

E uma das maneiras que a marca encontrou para valorizar o passado do imóvel foi através da documentação de depoimentos de pessoas que viveram ali partes importantes das suas vidas. Foi assim que surgiu a websérie Fábrica de Emoções, que será disponibilizada no Facebook (www.facebook.com/Cervejaria.Schornstein) da marca entre 23 de maio e 15 de junho.

Thick Neck é nova aposta de embalagem para cervejas artesanais

O mercado de cervejas artesanais e especiais já pode contar com um novo modelo de embalagem para suas bebidas. A Owens Illinois (O-I), maior fabricante de embalagens de vidro do mundo, acaba de lançar a Thick Neck, uma garrafa de 300 ml com diâmetro de pescoço maior do que as convencionais.

O modelo foi pensado como alternativa às embalagens disponíveis no mercado, que costumam ter gargalo longo e fino. “A idéia foi sair do lugar comum e criar uma garrafa diferente das tradicionais long necks”, diz Antonio Melo, gerente de produtos da O-I.  O especialista explica que o design da garrafa também influencia no momento da compra e que a proposta é fazê-la se destacar nas prateleiras. “O modelo foi feito para chamar a atenção do consumidor. Pensamos em atender a demanda dos cervejeiros artesanais, que buscam oferecer um produto diferenciado, inclusive no tamanho das embalagens (as long necks têm 355 ml)”, explica Melo.

Concurso Nacional de Cerveja Caseira

A Lamas Brew Shop acaba de criar o Concurso Nacional de Cerveja Caseira que premiará em mil e cem reais o ganhador. As vagas são limitadas​ ​e as inscrições ficarão abertas até o dia 06 de junho. Após inscrição, o participante deverá postar uma foto da fabricação da cerveja com um dos kits de produção de cerveja caseira da Lamas Brew Shop nas redes sociais com a hashtag #lamasbrewday. O resultado do concurso será divulgado no mês de setembro. Segundo e terceiro colocados também serão premiados. Inscrições e mais informações aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A nova Cervejaria Avós nasce com o carinho de Vó

0 Comentario(s)
cerveja avós

texto: Cilmara Bedaque
fotos: Cilmara Bedaque e divulgação

A nova Cervejaria Avós lançou seus dois primeiros rótulos aqui em São Paulo e aproveitei para levar um papo com Junior Bottura, sócio-fundador da bem humorada marca.

Lupulinas – Júnior, antes de abrir a Cervejaria Avós, você passou por uma boa experiencia como cervejeiro caseiro ou como chamamos “paneleiro”. Conte quanto tempo esta fase durou e qual a importância que teve pra você.
Júnior – Sim, na verdade foi tudo muito rápido, passei 2 anos brincando com as panelas antes de decidir montar o plano de negocio da Avós. Comecei assistindo tutoriais no youtube e produzindo no fogão da cozinha. Era uma panelinha de 5 litros e, depois de alguns meses, decidi estudar de verdade. Fiz alguns cursos curtos que me abriram a cabeça e me deram coragem para investir em um equipamento de 50 litros, ai as receitas começaram a ficar mais elaboradas. Em setembro do ano passado iniciei o curso técnico do Instituto da Cerveja Brasil e em fevereiro comecei a produzir na Cervejaria Dádiva as duas primeiras receitas da marca.

Lupulinas – Sabemos que lançar comercialmente uma cerveja envolve muitos custos e total dedicação. Explique , por favor, pros nossos leitores estas dificuldades e o que é uma cervejaria cigana.
Júnior – A maior dificuldade é entender a barreira entre paixão e business. Depois é conseguir abrir portas sendo novo no mercado, venho da publicidade e o território das micro cervejarias era totalmente novo para mim. O que fiz foi me jogar nesse mundo, comecei lendo muito e depois fui para a rua, bares, eventos com o objetivo de conhecer gente. É ai que os ciganos se surpreendem e aprendem que produzir talvez seja a parte mais fácil do todo. A burocracia de abrir empresa, fazer os registros, construir sua marca e principalmente montar sua cadeia de distribuição, consomem muito mais do que a produção. Ter uma cerveja feita em casa que seus amigos e familiares te elogiam quando bebem é o fator que impulsiona o cigano a se arriscar na indústria, mas os fatores que farão você se estabelecer e prosperar são outros e bem mais complexos.
As cervejas ciganas possuem suas receitas, marcas e contratos de distribuição, e terceirizam a produção em fabricas que tem capacidade produtiva ociosa, ou já abriram pensando nesse modelo de negocio. Ao invés de investir em equipamento e construção, alugamos a diária de brassagem/envase e o período que a cerveja fica no tanque. Normalmente os contratos são curtos e o termo cigano acontece porque as cervejas podem ser produzidas em fabricas distintas.

Lupulinas – Qual o conceito que existe no nome da Cervejaria Avós?
Júnior – Eu tive a felicidade de conhecer e conviver com todas as minhas avós e bisavós, e também com 5 dos avôs e bisavôs, não apenas conheci um deles. Isso foi algo que me marcou muito e aos 15 anos, depois da morte da minha avó paterna, passei a escrever minhas lembranças com elas. Quando comecei a pensar na marca da minha cerveja, queria algo que fosse verdadeiro e que de alguma forma transmitisse o cuidado e o carinho com as receitas. Foi ai que minha esposa lembrou de todas as estórias com as “véinhas” e resolvi resgatar. Comecei a produção comercial com dois rótulos que homenageiam em vida , os dois lados da personalidade da minha avó Maria: uma India Pale Ale, batizada de Vó Maria, a baixinha porreta, o nome brinca com a personalidade forte da Vó Maria, que fala o que pensa. Ela é singular, explosiva e feliz. Ou seja, porreta. Além de tudo, ninguém sabe sua verdadeira idade. Ela tem 3 registros com 10 anos de diferença entre eles! Fiz também uma Hoppy Lager chamada de Vó Maria e seu lado Zen ,pois ela também tem seu lado meigo, que não deixa a idade impossibilitar descobertas. Ela pratica ioga 3 vezes por semana, e nessa atmosfera zen, concatena ideias e acalma seu lado impulsivo.
Tenho mais 4 receitas de panela ,ainda em teste, para serem lançadas.

Lupulinas – A idéia e oconceito visual da Avós são muito bem resolvidos. Quais são as pessoas envolvidas neste processo?
Júnior – Sim, e o fato de trabalhar no meio publicitário contribuiu, os amigos se juntaram e resolveram transformar as minhas estórias em arte, tem bastante gente envolvida: Estácio Rodrigues que foi parceiro e consultor o tempo todo, o ilustrador é o Marlos Lima, os diretores de arte são Vinicius Pegoraro e Carol Santos, o redator que transformou meus textos é o Joao Caetano e o idealizador de tudo é o Alexandre Pagano, artes finais são do Rafael Souza, e ainda tive a contribuição do produtor gráfico Roberto Nucci, e do fotografo Christian Madrigal. Fora minha esposa e meus amigos que tiveram que me aguentar pedindo palpite.

Lupulinas – Quem é o mestre-cervejeiro responsável pelos variados estilos da Avós?
Júnior – É o Victor Marinho, foi ele que transformou minhas receitas caseiras para a indústria, um trabalho impecável, o Victor foi um dos caras que comprou a ideia desde o inicio e me ajudou muito.

Lupulinas – Fale um pouco sobre os dois estilos lançados pela Avós e quais serão os próximos.
Júnior – Nossa Hoppy Lager, é refrescante, tem amargor sutil e aromas com notas cítricas e frutadas. Uma cerveja leve, fácil de tomar mas que tem personalidade marcante na boca e no nariz. A IPA tem um amargor intenso mas bem equilibrado, aroma cítrico que remete a frutas amarelas como maracujá e manga, no final, logo depois do amargor vem um dulçor bem agradável.
A próxima será uma Wit bier, com o nome de Vó Ana, a matrona. Queremos tentar fazer algo diferente dentro do estilo mas ainda não acertamos 100%.

Lupulinas – A logística de distribuição dos produtos é complicada. Quais estados brasileiros conhecerão a Avós?
Júnior – Temos cadeia 100% refrigerada, isso contribui muito para o resultado final do produto, porem, complica um pouco o transporte. Nossa ideia é focar primeiro em São Paulo, Rio de Janeiro, depois Minas Gerais, ainda não temos plano de passar disso. Estamos negociando com alguns clubes de cerveja para mandar a IPA que tem uma estabilidade boa, a Lager não temos a intenção de expandir de imediato, pois precisaria de uma pasteurização forte e temos medo de comprometer muito.

Lupulinas – Pra terminar, qual dica você daria pra quem está começando a fazer sua própria cerveja?
Júnior – Vai estudar, estude muito e eu falo porque ainda acho que fiz pouco. Vai estudar mais sobre o processo produtivo, estude muito e diversifique sua fonte, tem muita coisa errada sendo ensinada por ai, muita mesmo. E caso goste muito e queira seguir com isso como negócio, continue estudando para entender as particularidades do mercado, toda a parte burocrática e fiscal, as dinâmicas de venda, os modelos de operação logística e distribuição.

 

Vem aí o dia da Cerveja Impura e a não-cerveja

0 Comentario(s)
af_CapaFacebook

texto e fotos: Cilmara Bedaque e divulgação

Os cabeçudos da Cervejaria 2cabeças vieram ao mundo para questionar, provocar e pensar junto ao fato de fazerem cerveja. Com o pessoal da Morada Cia. Etílica resolveram fazer um belo dum agito, aqui no Brasil, colocando em cheque uma das premissas da cerveja: a famosa Reinheitsgebot! Mas o que é isso?

Em 23 de abril de 1516, o duque da Bavaria promulgou a Reinheitsgebot, ou Lei da Pureza Alemã, limitando os ingredientes da cerveja a malte de cevada, lúpulo e água, focando no controle tributário e comercial da época. Hoje, esta lei é colocada como referência de qualidade da cerveja, o que em nada tem a ver com o histórico e o texto da lei. Privilegiando a liberdade criativa, o cervejeiro da alemã Freigeist, Sebastian Sauer, convocou seus amigos de todo o mundo. A resposta brasileira foi a criação do Dia da Cerveja Impura.

No dia 23 de abril, data em que a Lei de Pureza Alemã completa 500 anos a 2cabeças, Morada Cia Etílica, Maltes Catarinense e Freigeist Bierkultur proclamam o Dia da Cerveja Impura, anunciando diversos eventos espalhados pelo Brasil, incluindo o lançamento de uma cerveja (cerveja?) inédita. Batizada de Bizarro, a bebida fermentada não leva água, malte de cevada nem lúpulo.

“Sempre buscamos usar os ingredientes que imaginamos fazer a cerveja ficar melhor. Não faz sentido valorizar e se prender a uma diretriz que nunca se destinou a preservar a qualidade. O próprio Sebastian relata a dificuldade que é para o alemão aceitar estas inovações, o que é uma luta diária dele por lá”, afirma Bernardo Couto, da 2cabeças.

A Bizarro é uma anti-cerveja, desenvolvida para contestar os limites, com ingredientes como chimarão, água de coco e sidra de maçã no lugar da água. O malte de cevada foi totalmente substituído por malte de arroz e malte de aveia, especialmente desenvolvidos para este projeto pela Maltes Catarinense. O lúpulo não entra na receita, que conta com losna, semente de coentro, zimbro e erva mate torrada. Uma bela adição de mel para provocar e para finalizar, apenas leveduras selvagens: French Saison e Brettanomyces.

“O processo criativo para chegar a esta anti-cerveja foi muito divertido. Entendemos que era o momento de nos posicionarmos a favor da liberdade acima de tudo. Nos dias de hoje a cerveja está mais viva, jovem e ousada do que nunca. Precisamos contribuir para que ela continue evoluindo”, celebra André Junqueira, da Morada Cia Etílica.

A anti-cerveja será lançada no dia 23 de Abril, em diversos eventos pelo Brasil. Já estão confirmadas ações em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre. Os eventos serão divulgados nesta página do Feice

O manifesto e as dicas de como participar deste evento você encontra neste site

Ah! e eles não esqueceram de providenciar um vídeo  é claro ;)

No Rio
O casarão Ameno Resedá será o palco deste evento regado a muita cerveja com diversos cereais, frutas, especiarias e maturação em madeira. A degustação será liberada, com mais de 15 rótulos disponíveis de nomes como 2cabeças, Penedon,
Invicta, 3cariocas, Morada, Freigeist, Treze, Three Monkeys e Hocus Pocus, que rasgaram a Reinheitsgebot e abusaram da criatividade e ingredientes inusitados na criação de suas receitas. Para acompanhar, o evento contará com diversas opções
gastronômicas.

“É um dia para celebrar a diversidade e a criatividade sem limites. Contamos com a participação de diversas excelentes cervejarias para juntar uma seleção incrível de rótulos impuros”, comenta Maíra Kimura, da 2cabeças.

Dia da Cerveja Impura
23/04, das 14h às 20h
Casarão Ameno Resedá ­ Rua Pedro Américo, 277. Catete
Ingressos: R$ 130 (primeiro lote)
Degustação liberada, convite dá direito a um copo da 2cabeças

 

 

Brassagem da Magrela na Cervejaria Nacional

0 Comentario(s)
Magrela da Nacional

texto e fotos: Cilmara Bedaque e divulgação

Se você tem curiosidade em acompanhar o processo de fabricação de uma cerveja artesanal, a boa é, neste domingo, dia 3 de abril, dar uma chegada na Cervejaria Nacional, no bairro paulistano de Pinheiros. Duas curiosidades acontecerão neste dia. Além de acompanhar o processo de brassagem de uma cerveja, quem for afim conhecerá também um estilo pouco conhecido de cerveja: o Gruitbeer.

O que é uma Gruitbeer? Se hoje em dia parece estranho uma cerveja sem adição de lúpulo, durante o século VIII a utilização dessa mistura de ervas, chamada gruit, era muito comum em praticamente toda a Europa. Em determinadas regiões, os bispos possuíam o gruitrecht, direito de fornecer o gruit – um monopólio lucrativo e um segredo guardado a sete chaves. Pode ser comparado na culinária àquele amarradinho de ervas que algumas receitas levam, o bouquet garni. Com o tempo, o uso do lúpulo foi gradualmente adotado, por conta da dificuldade em estabelecer as proporções corretas dos ingredientes.

Para entender melhor esse processo, clientes e apaixonados por cerveja poderão acompanhar a brassagem da sazonal no dia 3 de abril (domingo), a partir das 13h. Trata-se de uma oportunidade única de acompanhar de perto a produção, colocando a mão na massa e tirando dúvidas com o mestre cervejeiro da casa, Guilherme Hoffmann. Para participar é necessário fazer inscrição pelo telefone: 3034-4318.

No dia 18 de abril, as torneiras da Cervejaria Nacional vão receber esta receita pronta com o nome de Magrela, uma Gruitbeer que portanto não leva lúpulo que é substituído por uma seleção de ervas, flores, folhas e raízes, como erva-doce, cravo, canela, pimenta-do-reino, coentro, louro, gengibre e noz-moscada, além de aveia, trigo, cevada crua, mel e açúcar mascavo. Toda essa mistura ajuda a preservar a cerveja, além de garantir muitos aromas e sabores, neutralizando o dulçor e perfumando a bebida.

A Magrela tem 0 IBU, por conta da ausência do lúpulo (ou seja amargor zero), 6,5% de teor alcoólico e uma cor dourada intensa. Serão produzidos 500 litros, que poderão ser degustados em copos de 320 ml (R$ 17) e 550 ml (R$ 25) nas torneiras na Cervejaria Nacional . Como já é tradição, na noite do lançamento, a colaborativa será servida em sistema double, das 17h às 0h.

Cervejaria Nacional
Endereço: Av. Pedroso de Morais, 604, Pinheiros
Telefone: 11 4305-9368
Telefone para reservas: 11 3034-4318
Horário de funcionamento: segunda a quarta-feira, das 17h a 0h, quinta a sábado, das 12h a 0h e domingos, das 13h às 21h

 

Growler: seu chope preferido onde você quiser

0 Comentario(s)
image

texto: Cilmara Bedaque

fotos: Cilmara Bedaque e divulgação

Há umas semanas atras publiquei a foto de um growler e percebi que poucos sabem o que é isso. Apesar de ser uma coisa bem simples, o nome em inglês assusta e dispara preconceito entre muitos. A droga é que não existe uma boa tradução para o português (aceito sugestões). Mas vamos ao ponto.

O growler é um recipiente em forma de jarra que pode ser feito em cerâmica, vidro ou aço com uma boa tampa vedadora que serve para transportar chope do bar para casa. Normalmente ele tem 2 litros, mas existem growlers de tamanhos variados e formas inusitadas. Sua tampa permite a conservação de seu chope preferido em casa até uma semana na geladeira.

O uso do growler nos Estados Unidos, entre os cervejeiros artesanais está bem difundido. Todo bar ou fábrica de “craft beer” tem seu growler personalizado. Além de poder contar com o conforto e o momento certo de beber seu chope preferido em casa, normalmente os bares fazem um preço melhor quando você vai encher seu growler neles.

Nas minhas pesquisas cheguei ao inventor do growler que foi a Otto Brothers Brewery, no final do século XIX, lá do estado americano de Idaho. Hoje ela tem o nome de Wildlife Brewing. Em Nova Iorque, no começo do século XX, era comum ver meninos circulando com growlers que eram pedidos por seus pais para serem consumidos depois do trabalho.

A limpeza do frasco depende um pouco do que ele é feito, mas é a higiene básica para que você não tenha o gosto de sua cerveja alterado por proliferação de bolores e mofo. Alguns recomendam água e sabão, outros têm medo do uso do sabão porque o enxague pode não ser bem feito. Mas o que todos concordam é que a limpeza tem que ser feita imediatamente apos o consumo. Com bastante água corrente como também devem ser lavados os copos que usamos para beber cerveja.

A dica para encher o growler é evitar a espuma que faz perder o gás e você pagar pelo que não está levando. Existe um acessório, uma espécie de caninho, que coloca a cerveja no fundo e vai preenchendo o growler desta maneira. Mas atenção e cuidado também podem ser praticados nesta hora. Por este motivo muitos preferem o growler de vidro.

Se você for enchê-lo logo pode conserva-lo, depois da boa lavada, cheio de água, mas se for guarda-lo é melhor que esteja seco. Tem gente que gosta de sanitizar com outros produtos e mesmo água quente, mas eu acho isso não necessário.

Nos Estados Unidos o preço de um growler varia de acordo com o que ele é feito. De nove dólares um de cerâmica a cinquenta dólares um de aço escovado. Aqui, como os growlers ainda são importados, acho os preços altos (por volta de noventa reais um de 2 litros), mas é objeto para uso duradouro, a não ser que tu sejas um aloprado que sai quebrando growler por ai. Veja os exemplos nas fotos e, se for prático para você, entre nessa também.