#VaiTerCopo

8 Comentario(s)
mynameisze

Ainda é cedo e muitos outros mistérios devem pintar por aí. Mas algumas cervejarias artesanais brasileiras já estão fabricando suas beberagens em homenagem à Copa do Mundo 2014 e que serão lançadas durante o evento. Se, por um lado, a Copa é patrocinada por um Gigante da Indústria, os pequenos produtores se mexem para colher novos fãs e divisas do turismo que será gerado nas cidades-sede da Copa.

A cervejaria carioca 2Cabeças fez um gol de placa ao firmar uma parceria com a escocesa Brewdog, uma das artesanais mais descoladas da Europa. Juntas, elas estão fabricando uma Passion Fruit IPA chamada Hello, My Name is Zé e que será distribuída apenas no Brasil e para os sócios do programa Equity for Punks, da Brewdog. A “Hello, My Name is Zé”, apesar dos toques de maracujá, será bem diferente da já conhecida MaracujIPA, da 2Cabeças. Segundo Bernardo Couto, cervejeiro da brasileira, “Zé” difere da MaracujIPA em tudo: nos maltes, teor alcoólico e terá uma lupulagem bem mais agressiva. As Lupulinas aguardam ansiosas \o/

Outra parceria internacional é das cervejarias Bierland (SC, Brasil) e Antares (Argentina), provando que os maiores rivais do futebol sul americano podem se juntar pra fazer uma boa cerveja. Ainda sem nome, a parceria Bierland/Antares será uma cerveja do estilo American Pale Ale, produzida com lúpulos da Patagônia Argentina e extrato de guaraná brasileiro. Pra deixar todo mundo ligadinho no jogo.

A cervejaria mineira Falke Bier, por sua vez, resolveu homenagear os ingleses, que farão um jogo em Belo Horizonte, lançando uma cerveja (ainda sem nome) com maltes e lúpulos ingleses e a adição da nossa única, particular e brasileiríssima jabuticaba. Além do rótulo comemorativo, Marco Antonio Falcone, um dos sócios da Falke, disse estar preparado para receber os turistas em sua fábrica-bar, que fica bem próxima da capital e está mapeada nos beertours oficiais da cidade. Falcone disse que a produção da Falke será sextuplicada no período da Copa e que a fábrica-bar está investindo na capacitação dos funcionários para atender o público estrangeiro. Uma nova lojinha de souvenirs da cervejaria será criada. Porque todo mundo gosta de levar lembrancinhas pra casa.

Para saudar a seleção francesa de futebol que se hospedará em Riberão Preto, a local Colorado irá lançar uma variação de sua conhecida Cauim, mas com lúpulos franceses: a Allez les Bleus, grito da torcida francesa para empurrar sua seleção. A cerveja comemorativa será comercializada no Brasil e na França e a Colorado, para este fim, fez um comercial provocativo e de gosto duvidoso, explorando o corpo nu e o suvaco peludo da mulher francesa. Nós, Lupulinas, feministas, ficamos #chatiadas com essa nudez desnecessária (qual a necessidade disso?) usada na promoção de uma cervejaria que jamais colocou mulheres nuas ou sexies em seus rótulos (apenas o ursinho que amamos tanto). Por outro lado, gostamos de sovaco peludo, que não é prerrogativa exclusiva das francesas. Como faz parte da ação uma resposta dos franceses ainda não veiculada, aguardemos os desdobramentos desta campanha.

Além dos rótulos comemorativos (esses são apenas alguns que pescamos para vocês), algumas cervejarias artesanais estarão oferecendo tours para visitação e degustação em suas fábricas. Uma delas é a Bamberg, que fica em Votorantim (40 minutos de São Paulo) e que abrirá suas portas aos sábados para a turistada, a partir das 11 da manhã, por 30 reais e com guias que falam inglês (além dos de língua nativa). Fora da Copa, o dono da cervejaria, Alexandre Bazzo, também oferece estes tours em português. O passeio dá direito a uma degustação das cervejas produzidas pela Bamberg. O agendamento pode ser feito pelo e-mail [email protected] e maiores informações no www.cervejariabamberg.com.br

Daqui até ao início da Copa, devem surgir mais cervejas especiais e sazionais  e mais eventos cervejeiros relacionados ao evento. Estaremos acompanhando e contando pra vocês \o/\o/\o/

Diário de Bordo – Festival da Cerveja parte 2

0 Comentario(s)
jgordo

O Festival Brasileiro da Cerveja em Blumenau terminou com um balanço totalmente positivo. Com um público de quase 35 mil pessoas durante os quatro dias de cervejas, shows e comilança, o festival já se configura como o maior do gênero na América Latina. O concurso do festival premiou dezenas de artesanais nacionais e a lista completa você encontra neste link.

Para o próximo ano, os organizadores pretendem utilizar mais um setor do enorme complexo de pavilhões na Vila Germânia (onde tradicionalmente acontece a Oktober Fest). Os dois setores ocupados neste ano parecem não dar mais conta da quantidade de publico e expositores. Vinte e seis cervejarias artesanais brasileiras ficaram de fora em 2014 por falta de espaço.

A cidade de Blumenau também comemorou o sucesso do encontro: “Foram quatro dias de hotéis lotados, pontos turísticos visitados e muita gente conhecendo Blumenau”, declarou Valmir Zanetti, presidente do Empório Vila Germânia.

Outro mérito do festival foi promover o encontro de produtores e distribuidores de cervejas e insumos, ampliando a rede de contatos e negócios do setor das artesanais. O espírito de colaboração e compartilhamento de receitas e idéias pode ser acompanhado em brassagens públicas (processo de cozimento, filtragem e esterilização do malte) realizadas em cervejarias da região durante o festival.

A primeira brassagem foi feita na fábrica da Bierland em parceria com a argentina Antares para a produção de uma American Pale Ale com guaraná e lúpulos da Patagônia que será lançada durante a Copa do Mundo, em junho.

A segunda brassagem ocorreu na Das Bier, uma colaboração entre as cervejarias Bodebrown e Morada (duas das prediletas das Lupulinas) que produziram uma breja típica da Colônia, a Roggen Kölsch, uma mistura de lager e ale.

Após o término do Festival, a Schornstein também fez uma brassagem para convidados, junto com cervejeiros da Associação Italiana de Degustadores de Cerveja e da cervejaria italiana BQem: uma quadruppel que será envelhecida em barris de carvalho americano.

rótulo da Dum - 2º lugar (divulgação)

rótulo da Dum – 2º lugar (divulgação)

Por fim, mas não menos importante, pela primeira vez em sua história o Festival Brasileiro da Cerveja distribuiu o prêmio Randy Mosher, designer americano e responsável pela criação do famoso urso da Colorado, que estava presente no júri que escolheu os melhores rótulos. Nós, Lupulinas, aplaudimos a iniciativa pois somos grandes entusiastas e colecionadoras de estampas. Eis os vencedores:

 

Categoria Principal

1º Lugar: Double Viena
Cervejaria: Morada Cia. Etílica
Agéncia D-Lab
2º Lugar: Grand Cru
Cervejaria: DUM Cervejaria
Agência: D-Lab
Direção criativa: Daniel Mazer e Henrique Borges
Designers: Diego Martins e Makson Serpa
3º Lugar: Brotas Beer Weissbier
Cervejaria: Brotas Beer Indústria de Bebidas.
Designer Responsável: Renato Scatolin

Categoria Rótulos de Bandas

1º Lugar: João Gordo Heffeweizen
Cervejaria: Dortmund
2º Lugar: God Save The Queen
Cervejaria: Cervejaria Küd
Designer Responsável: Fábio Guimarães – FCG Design
3º Lugar: Matanza
Cervejaria: Dortmund
Designer Responsável: Matanza

.